O papel do líder mudou, ele não precisa ser mais um transmissor de conhecimento e sim um facilitador para construção do conhecimento pelos seus liderados.

Na industria de software, as pessoas costumam se intitular “knowledge workers” ou trabalhadores do conhecimento, em uma tradução livre. Estamos na era da gestão do capital intelectual, onde queremos construir e multiplicar o conhecimento. Muitos gestores não conseguem perceber isso e acabam puxando o time para baixo.

O objetivo do atual gestor de equipes é facilitar o processo de transmissão e construção de conhecimento dentro das empresas e com isso buscar acima de tudo, inovação. E para isso, cabe ao gestor ou líder (não vou entrar aqui no mérito da diferença entre os dois) o papel de facilitador do aprendizado e da construção do conhecimento.

Promovendo a construção do conhecimento

O ensino e o aprendizado não se reduz a transferência de conhecimento. Na verdade a transferência de conhecimento é apenas uma das etapas, e não é a mais importante. Promover condições para que o conhecimento seja construído pelo aprendiz é a coisa mais valiosa nessa relação. Nesse ponto, o líder tem um papel fundamental e deve atuar proativamente para que sua equipe tenha a possibilidade de construir o conhecimento. Cabe ao líder orientar e conduzir, não só com palavras, mas também com exemplos.

Além da palavra e do exemplo, outro ponto importante é o feedback. O líder precisa fornecer um feedback constante para facilitar o processo de aprendizado. Somente dessa maneira o liderado saberá se conseguiu atingir o objetivo ou até se superou a expectativa inicial do líder. A avaliação crítica, o exercício do conhecimento e o acompanhamento da realização das tarefas são fundamentais para construção do conhecimento.

Ensinar é pensar certo – Mas o que é pensar certo?

Demorei a entender esse conceito a primeira vez que esbarrei nele. Pensar certo é submeter nossos conceitos e verdades a critica constante e deixar que elas sejam modificadas quando um conceito melhor vier a tona a partir das criticas. Isso significa que o conhecimento de hoje vai ser superado mais cedo ou mais tarde. Com isso o líder pode e deve promover uma busca constante pela superação no nível de conhecimento, seu e dos seus liderados. Pensar certo é estar sempre preparado e buscando a mudança, sempre em direção a construção de conceitos.

Em tecnologia é relativamente comum se adotar o novo apenas por ser novo, mas estar em constante mudança e evolução não significa isso. Se trata de conhecer as opções e escolher aquelas que agregam valor, assumindo o controle total de suas ações. Não é muito fácil trilhar esse caminho, já que temos aquela tendência a acomodação quando dominamos determinado conhecimento.

É preciso estar sempre construindo! Mas isso não é fácil.

Voltando aos aspectos do líder, pensar certo significa também respeitar os conhecimentos dos liderados. Esse é um ponto em que muitos líderes pecam. Cada um tem seu background de conhecimento e tem reflexões diferentes sobre um mesmo tema, então cabe ao líder equacionar essas diferentes influências e tirar proveito disso. Pensar certo é gostar das diferenças. Somente através das diferenças conseguimos construir novos conhecimentos, conseguimos formar uma equipe mais completa e atender a diferentes requisitos.

Qualquer dia desses escreverei um pouco sobre motivação e formação de equipes, então talvez eu consiga explicar um pouco como as diferenças são importantes. Aprenda a gostar das diferenças!

Ensinar é escutar também

O líder deve dar espaço aos liderados e ouvir o que eles tem a dizer. Só assim existe a construção do conhecimento mútuo. A comunicação é fundamental no papel de liderança, mas muitos esquecem que ouvir também faz parte da comunicação e que deve ser uma via de duas mãos.